Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (3): devoto de Nossa Senhora

Um monge, homem santo e perfeito, Bernardo viveu a imitação de Cristo e torna-se a consciência do séc. XII. Sem evitar a polêmica, é o homem santo providencial para um tempo difícil. É o caso de retomar Chesterton quando se refere a Santo Tomás de Aquino: "Um paradoxo da história é que cada geração é convertida … Continue lendo Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (3): devoto de Nossa Senhora

“Poesia: me agarro a isso como a uma tábua de salvação”

Por que dizem ser o “Dia da Poesia” – que, para mim, são todos, mas sou ‘dois em mil…’

Leveza e Esperança

WISLAWA SZYMBORSKA  – 1923-2012, nascida em Bnin/Kórnik e falecida em Cracóvia (Polônia), Poetisa agraciada com o Prêmio Nobel em 1996 – seu nome pronuncia-se mais ou menos “Vissuáva Chembórska” –
ensina-nos sua tradutora em Português Regina Przybycien, cujo nome confesso não saber como pronunciar…são consoantes demais juntas! –
algo como pré-zi-bis-quén

Pois bem, ei-la: poetisa do entre-guerras na Europa e que viveu quarenta anos sob o regime totalitário na Polônia. Em “Poemas”, seleção, tradução e prefácio da professora Regina, ficamos sabendo mais do que a justificativa dada pelos organizadores do Nobel, quando premiaram Wislawa como o segundo prêmio Nobel de literatura a um poeta polonês em dezesseis anos – o primeiro havia sido entregue em 1980 a Czeslaw Milosz.

Dizem os julgadores do Nobel que Wislawa mereceu o prêmio em 1996 porque “sua poesia com irônica precisão permite que o contexto histórico e biológico da autora venha à luz…

Ver o post original 1.024 mais palavras

Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (2)

As lições das cartas de Bernardo, via professor-medievalista Rodrigo Costa. "Eu somente posso aconselhar que você anteponha a amizade a todos os interesses humanos, pois não há nada mais apropriado à natureza nem mais necessário para a vida, tanto nos momentos favoráveis quanto nos adversos. A amizade não é senão uma harmonia entre todas as … Continue lendo Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (2)

Posts curtos

Da série "Gênese de um livro" Os Bichos (VII) - O burrinho. A Ursulino Leão. "Platero e eu*" é história antiga de quando os animais falavam; quem ma contou foi Ursulino - por Leão de sobrenome, mas d'alma um cordeiro cativo. No dia de seu octogésimo ano nós, seus leitores brindados c’oa história de um … Continue lendo Posts curtos

Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (1)

DILETOS AMIGOS - meditações da Quaresma (1) Em 2016, tracei como meta ler e meditar sobre a vida e o exemplo de São Bernardo de Claraval (1090-1153). Em princípio, mesmo não sendo historiador, nem possuindo formação acadêmica na matéria, pretendia escrever um pequeno volume em vernáculo sobre o monge que  foi "testemunha de seu tempo perante Deus" … Continue lendo Bernardo de Claraval, guia da Cristandade (1)

S. Bernardo de Claraval

...Aos monges de Cister (Cisteaux)... S.Bernardo de Claraval - aos monges do convento de Cister* Mas "Porque te deprimes, ó minha alma e te inquietas dentro de mim? Espera em Deus, porque ainda hei de louvá-lo: Ele é minha Salvação e meu Deus" (Sl.42:5). ~.~.~ Este é o meu desejo quando o erro me assalta a … Continue lendo S. Bernardo de Claraval

A gênese de um livro (V)

Poema de hoje, 04 de março de 2017. Este poema (ainda em rascunho) nasceu da releitura de Daniel, 4, sob a inspiração de Robert Graves. Creio que posso chamá-lo de "meu Nabucodonosor", mas preferi intitular de "A Queda (I)" - intuindo que outras versões virão e continuações, pois o mito é tremendo. Clique na figura ao … Continue lendo A gênese de um livro (V)