A gênese de um livro (III)

Canções americanas (2) Ah! azevinheiro em minha janela mas meu coração não está mais lá; estreita era a cama - nós dois nela, mas meu amor está amarrado lá. Mas meu amor está amarrado lá onde a grama está sempre verde o silêncio permite ao nightingale cantar sem que o deserdem. Cantar sem que o … Continue lendo A gênese de um livro (III)

Poesia e profecia

Poesia e profecia, draft de poemas do novo livro de Adalberto de Queiroz.

Poemas de esperança (memorial)

Goyaz (1) No outono da vida o sol do cerrado seca as mesmas sementes — sol a pino: sementes de abóbora comidas assadas coisas de antanho com igual desatino. Cajá-manga devorado com sal, à sexta hora o gosto arcaico na boca desata sonhar — feito pamonhas ao leite ou torta de amora vem só o … Continue lendo Poemas de esperança (memorial)

Destino Palavra

MEU NOVO LIVRO DE POEMAS Breve! Em todas as boas livrarias virtuais do mundo (e algumas presenciais) do Brasil. Saiba mais!

Leia Cadernos de Sizenando

Leia Cadernos de Sizenando, poemas e crônicas. Alumbramento; poesia mística e dicção própria.

Notas para uma biografia de Schmidt

Augusto Frederico Schmidt (1906-1965).

Imortal Jorge de Lima, apesar de a Academia achar que não!

LEIA-SE, dizia Manuel Anselmo em 1939, no Ensaio de Interpretação Crítica sobre A Poesia de Jorge de Lima: Poema "Acendedor de Lampiões", do livro XIV Alexandrinos (1907) O ACENDEDOR DE LAMPIÕES **************************************** Lá vem o acendedor de lampiões de rua! Este mesmo que vem, infatigavelmente, Parodiar o Sol e associar-se à lua Quando a sobra … Continue lendo Imortal Jorge de Lima, apesar de a Academia achar que não!