Presença e permanência de Georges Bernanos


Republicação em razão da recente e saudável onda de releitura de Bernanos – terminei recentemente Monsieur Ouine, “le grand roman”. O livro sobre o qual o próprio autor teria dito: “escrevo olhando para o futuro…serei compreendido daqui a vinte anos” (1943).

Leveza e Esperança

Um amigo virtual e francófono, Juan Asensio, crítico literário que mantém o blog Stalker, na seqüência de uma troca de mensagens (há algum tempo atrás), sobre o consagrado autor francês Georges Bernanos, me provocou a encontrar filiações bernanosianas no Brasil. Uma resposta difícil, confesso! Girei sobre o assunto e respondi sem nada dizer de exato sobre a questão… vejam como ficou.

Do tempo que passou no Brasil (1938-1945), em meio a uma vida sempre nômade, Georges Bernanos angariou muitas amizades e influenciou uma série de escritores, mas não acho que tenha criado discípulos na ficção; na vida, ao contrário, semeou muitas amizades e registrou várias polêmicas – sem , talvez, ter deixado inimigos públicos.

Bernanos à la moto...

Dos amigos que fez em seu exílio brasileiro, Bernanos recebeu a bela homenagem no livro “Bernanos no Brasil: Testemunhos Vividos”, editado pela editora Vozes, em 1968, artigos de verdadeiros admiradores de Bernanos, coligidos…

Ver o post original 1.735 mais palavras

2 comentários em “Presença e permanência de Georges Bernanos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s