O motivo que me leva a republicar este post de 2010 foi a palestra de M.S. Cortella da FDC que, além de grande filósofo, é amante da Poesia e de Quintana.

Leveza e Esperança

Passeando pelo livro
do Quintana encontro
um riozinho ou sanga
clara através d’onde:

Vejo que ler é caminhar
através de floresta
insondável por Outro
concebida…

A minh’Alma ia adoçando
com carinho os poeminhas
grandes eu seguia assim.

Eu, tão bobinho
Encontro uma rã
une rainnette
que era um imã.

Fui andando pela
Floresta toda
Que o livrinho
me abriu…

E desdobrou-se
Em mim – alma, coração
Iluminuras na manhã.

Continuei repetindo:

E a tudo que voava:
Borboleta ou passarim
Um sonho declarava
Primavera dentro de mim.
++++

Fonte: ©Adalberto de Queiroz, 50 Poemas aos 50, Editora do Autor, Goiânia, 2010.

Ver o post original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s